Fiz o Big Chop: E, agora, será que arrumo namorado?

Oii Garotas Brasileiras,

Ontem recebi uma dúvida de uma nova leitora no meu Facebook pessoal. Ela quer fazer o Big Chop, mas tem dúvidas se ainda assim será paquerada pelos homens, ela é jovem, solteira e costuma ter sempre elogios pela aparência.

Antes de tudo, vamos por os pingos nos iis. Primeiro, claro, nenhuma mulher tem que se encaixar em um determinado padrão só para agradar aos homens. Segundo, cantadas na rua são vistas como uma forma de depreciação da mulher, como se ela fosse um objeto. Concordo com tudo isso, mas a proposta do post é outra hoje.

Perguntei para as leitoras da Fan Page, como o comportamento dos homens ficou depois do Big Chop e as respostas foram muito boas. Dei um print nas mais curtidas para pensarmos um pouco sobre a questão:

big chop

Depois de ler todas as respostas (olhem AQUI), chegamos à uma conclusão:

Embora, a preferência nacional seja por cabelo longo (veja as pesquisas feitas com homens), os homens passam a demonstrar mais interesse nas mulheres após o Big Chop. Possíveis explicações:

A) quando você passa pela transição capilar e faz o BC, você não muda só o cabelo (como disse a leitora Pamela Farias), todo o seu comportamento, a forma de se vestir, de se maquiar, de cuidar de si mesma, de ser ver no espelho, também mudam com a transição;

B) Cabelo liso é tão comum que as cacheadas ganham alguns pontinhos por serem diferentes e se destacarem em meio a multidão (a Carla Santana falou sobre isso também);

C) Nos tornamos mais autoconfiantes;

Eu sou casada, obviamente, como todas vocês casadas responderam, me interessa a opinião do meu marido e a minha. Mas sendo sincera sobre o assunto: mudou muita coisa depois que fiz o Big Chop. Nos primeiros meses, quando ele tava curtinho, eu ainda tinha muito medo, tinha um pouco de vergonha e me sentia mais pra baixo. Com o tempo, eu fui vencendo essas coisas e desde então, onde passo, sou notícia. :-) :-) Tá exagerei e muito! haha Mas chamamos muito a atenção. :-)

big chop

 

O lado ruim é que você nunca passa desapercebida, ainda mais se você morar no interior, em uma cidadezinha, onde ninguém mais tem cabelo crespo. :-) Se você vai no mercado, você vai passar por muitos olhares de homens e mulheres. Talvez alguns sejam de reprovação, mas até hoje, quase todos que chegaram a falar comigo eram para elogiar. Eu me surpreendi com o feedback das pessoas, foi muito mais positivo do que eu pensava que ia ser.

De certa forma, se assumir como é, não ter medo de sair por ai com um cabelão totalmente diferente é visto como independência, autoconfiança e maturidade. Como algumas leitoras nos lembraram, muitas vezes o primeiro olhar pode ser de surpresa ou de reprovação. E quem disse que isso não é bom? Se você está solteira e busca alguém, faça o BC. Você vai já separar o joio do trigo, não precisa nem de 10 anos de relação pra conhecer alguém, o B.C. já vai mostrar. Homens que não se aproximam de uma mulher porque ela tem um cabelo curto não merecem a sua atenção, não é mesmo? Porque você vai querer alguém que coloca a aparência a cima de tudo? Fuja de pessoas assim!

Às vezes somos muito medrosas. Quem aqui nunca foi? Com o tempo nos tornamos mais confiantes e esse é o segredo para atrair pessoas bem intencionadas (a Ana Carlona Cederboom contou o seu relato sobre isso). Seja confiante com o cabelo curto ou com o cabelo longo! Eu sempre digo para quem está indecisa não fazer o BC, esperar mais um pouco. Sabe porque? Porque é preciso que a pessoa amadureça junto com a transição, que ela comece a olhar no espelho e se gostar, que ela aprenda a ser autoconfiante… e essas coisas a gente não aprende do dia para a noite. Se você fazer o BC, depois dessa boa experiência com o seu eu, você não terá mais medo do que as outras pessoas pensarão e sua autoconfiança chamará muita atenção.

Acompanhe meu Big Chop aqui:

15 dias de Big Chop

3 meses de Big Chop

8 meses de Big Chop

Por fim, respondendo sua dúvida: Não se preocupe! Os homens gostam sim de mulheres com cabelo curto e cacheados, pelo menos, os homens que valem a pena!

Se você também alguma dúvida sobre transição capilar, Big Chop ou cabelos crespos/cacheados, deixe aqui. A próxima a receber respostas de nossas leitoras pode ser você! Obrigada a todas que responderam, gostei muito desse nosso bate papo. Vocês são demais!

Big Chop: Como foi sua experiência?

8 Meses Big Chop: relatos de uma vida

Sim! 8 meses se passaram…

Estive bem ausente nesses últimos 8 meses aqui no blog (trabalho, estudos, viagens, etc) e sinto falta do tempo que postava todo dia, respondia todas as leitoras (leio todos os comentários, mesmo que não dê pra responder todo mundo) e vivia pensando em coisas legais pra contar por aqui. Mas a vida de adulto exige que tenhamos outras obrigações, além do lazer. Enfim, nada que vocês não vivenciem também no dia a dia de cada uma.

transição capilar, big chop

Nesses 8 meses, passei por umas crises, alguns receios, às vezes um certo arrependimento, às vezes um certa sensação de ter feito o melhor, um pouco de alegria, um pouquinho de lágrimas… não é fácil. De um dia para o outro você se vê com o cabelo mais curto de toda a sua vida, com uma textura que você nunca imaginou que tinha.

Você acorda cedo e ele não está mais arrumado, corre pro banheiro, tenta fazer algo urgente antes de sair pra trabalhar ou estudar, mas ele não quer ficar no lugar. Bate aquele desespero, o relógio vai avançando, perde a paciência, chora, se arrepende e promete que nunca mais vai ter essas ideias insanas de cabelo crespo! Daí, você volta no final do dia, se olha c0m ternura e sente aquela dor no coração por ter pensado todas essas bobagens: você é tão mais você agora!

Nos primeiros meses, estava curtinho e não dava nem pra fazer um coque. Eu demorei pra me acostumar com a imagem que via no espelho!

Cadê meu cabelão de rapunzel que todo mundo elogiava? Cadê aquele cabelo que batia no fim das costas e dava movimento quando eu andava? Ele não estava mais ali. Mas aprendi algo muito importante nestes últimos anos com a transição e gostaria de compartilhar com vocês: Eu – sou  - mais –  do –  que – um – cabelo!

Eu sou mais do que um cabelo convencional, sou mais do que um cabelo comprido, sou mais do que fios, mais do que vaidade, mais do que tudo isso! Eu que sempre fui tímida e muito exigente com minha aparência física e com tudo que fazia, fui me tornando uma pessoa mais sensata. Fui deixando de lado esse perfeccionismo que me machucava a vida toda, que me fazia olhar durante todos esses anos no espelho e acreditar que não importava o quanto eu estivesse bonita, ainda não era o suficiente. O mesmo perfeccionismo que metaforicamente me cortava os pulsos, sugava além das minhas forças e me lembrava todo dia que amanhã, eu tinha que ser muito melhor.

Sim! O caminho foi árduo, mas sou uma pessoa mais livre. Vou ao supermercado como estou e não me importo mais com o olhar das pessoas, não chego mais em casa e corro para o espelho para ter certeza que está tudo no lugar. Talvez isso seja coisa também da idade, com o tempo, nos tornamos mais maduras, mais seguras de si e isso atrai as pessoas. Acreditem!

É sobre isso que quero falar: o dia que eu decidi não me importar mais com a definição do meu cabelo, com o volume, com o tamanho, com a minha cor, com meu corpo… as pessoas começaram a me olhar de forma diferente. Por onde eu vou, as pessoas me param para falar do meu cabelo. Se entro em uma loja, a vendedora me faz aquela clássica pergunta: “você fez permanente? Seu cabelo está tão lindo, queria o meu assim!”

Se visito uma cliente, antes de falar sobre negócios, sempre escuto o quanto ela gostou do meus cachos. E sabe o que acho disso tudo? Que eu precisava mesmo da transição e do big chop para entender que mesmo de rosto lavado, sem salto alto e cabelo natural, eu sou linda! Se você já fez o Big Chop, deve estar agora mesmo se reconhecendo em cada linha escrita…

Isso não significa que eu não seja mais vaidosa. Pelo contrário, mais do que nunca, me tornei vaidosa. Mas é uma vaidade saudável, a vaidade que não cobra a perfeição, mas cobra um sorriso, o bem estar, o orgulho de ser quem você é… Vaidade que só aprendi depois que comecei a transição.

São 8 meses de big chop, mais de 2 anos de transição e desde de 2012 compartilhando todas essas mudanças aqui no blog.

Esse relato é o mais sincero e mais próximo da descrição de tudo o que vivi nestes últimos anos aqui com vocês. De como a transição, ironicamente, me fez ver que um cabelo é apenas um cabelo e de como passei a me relacionar melhor comigo mesma.  Mais do que uma transição capilar, foi a transição da menina para a mulher.

transição capilar

Ah.. e o espelho? Eu amo a mulher que vejo ali todos os dias e me orgulho ao ver em quem ela se tornou!

Sorteio Lingerie

Meu Big Chop

 

Find us facebook

Cronograma Capilar