transição capilar

8 Meses Big Chop: relatos de uma vida

Sim! 8 meses se passaram…

Estive bem ausente nesses últimos 8 meses aqui no blog (trabalho, estudos, viagens, etc) e sinto falta do tempo que postava todo dia, respondia todas as leitoras (leio todos os comentários, mesmo que não dê pra responder todo mundo) e vivia pensando em coisas legais pra contar por aqui. Mas a vida de adulto exige que tenhamos outras obrigações, além do lazer. Enfim, nada que vocês não vivenciem também no dia a dia de cada uma.

transição capilar, big chop

Nesses 8 meses, passei por umas crises, alguns receios, às vezes um certo arrependimento, às vezes um certa sensação de ter feito o melhor, um pouco de alegria, um pouquinho de lágrimas… não é fácil. De um dia para o outro você se vê com o cabelo mais curto de toda a sua vida, com uma textura que você nunca imaginou que tinha.

Você acorda cedo e ele não está mais arrumado, corre pro banheiro, tenta fazer algo urgente antes de sair pra trabalhar ou estudar, mas ele não quer ficar no lugar. Bate aquele desespero, o relógio vai avançando, perde a paciência, chora, se arrepende e promete que nunca mais vai ter essas ideias insanas de cabelo crespo! Daí, você volta no final do dia, se olha c0m ternura e sente aquela dor no coração por ter pensado todas essas bobagens: você é tão mais você agora!

Nos primeiros meses, estava curtinho e não dava nem pra fazer um coque. Eu demorei pra me acostumar com a imagem que via no espelho!

Cadê meu cabelão de rapunzel que todo mundo elogiava? Cadê aquele cabelo que batia no fim das costas e dava movimento quando eu andava? Ele não estava mais ali. Mas aprendi algo muito importante nestes últimos anos com a transição e gostaria de compartilhar com vocês: Eu – sou  - mais –  do –  que – um – cabelo!

Eu sou mais do que um cabelo convencional, sou mais do que um cabelo comprido, sou mais do que fios, mais do que vaidade, mais do que tudo isso! Eu que sempre fui tímida e muito exigente com minha aparência física e com tudo que fazia, fui me tornando uma pessoa mais sensata. Fui deixando de lado esse perfeccionismo que me machucava a vida toda, que me fazia olhar durante todos esses anos no espelho e acreditar que não importava o quanto eu estivesse bonita, ainda não era o suficiente. O mesmo perfeccionismo que metaforicamente me cortava os pulsos, sugava além das minhas forças e me lembrava todo dia que amanhã, eu tinha que ser muito melhor.

Sim! O caminho foi árduo, mas sou uma pessoa mais livre. Vou ao supermercado como estou e não me importo mais com o olhar das pessoas, não chego mais em casa e corro para o espelho para ter certeza que está tudo no lugar. Talvez isso seja coisa também da idade, com o tempo, nos tornamos mais maduras, mais seguras de si e isso atrai as pessoas. Acreditem!

É sobre isso que quero falar: o dia que eu decidi não me importar mais com a definição do meu cabelo, com o volume, com o tamanho, com a minha cor, com meu corpo… as pessoas começaram a me olhar de forma diferente. Por onde eu vou, as pessoas me param para falar do meu cabelo. Se entro em uma loja, a vendedora me faz aquela clássica pergunta: “você fez permanente? Seu cabelo está tão lindo, queria o meu assim!”

Se visito uma cliente, antes de falar sobre negócios, sempre escuto o quanto ela gostou do meus cachos. E sabe o que acho disso tudo? Que eu precisava mesmo da transição e do big chop para entender que mesmo de rosto lavado, sem salto alto e cabelo natural, eu sou linda! Se você já fez o Big Chop, deve estar agora mesmo se reconhecendo em cada linha escrita…

Isso não significa que eu não seja mais vaidosa. Pelo contrário, mais do que nunca, me tornei vaidosa. Mas é uma vaidade saudável, a vaidade que não cobra a perfeição, mas cobra um sorriso, o bem estar, o orgulho de ser quem você é… Vaidade que só aprendi depois que comecei a transição.

São 8 meses de big chop, mais de 2 anos de transição e desde de 2012 compartilhando todas essas mudanças aqui no blog.

Esse relato é o mais sincero e mais próximo da descrição de tudo o que vivi nestes últimos anos aqui com vocês. De como a transição, ironicamente, me fez ver que um cabelo é apenas um cabelo e de como passei a me relacionar melhor comigo mesma.  Mais do que uma transição capilar, foi a transição da menina para a mulher.

transição capilar

Ah.. e o espelho? Eu amo a mulher que vejo ali todos os dias e me orgulho ao ver em quem ela se tornou!

O que ninguém nunca te contou sobre o Big Chop

Big Chop: O que será que ninguém nunca te contou, mas deveria ter te contado? Descubra tudo sobre o Big Chop por alguém que já passou por isso e não é [quase] nada politicamente correta!

Big Chop: O que ninguém nunca te contou antes!

transição capilar

 

1- Engana-se quem pensa que a Transição Capilar acaba no Big Chop;

2- Pode demorar até 6 meses após o Big Chop para ver como seu cabelo realmente é;

3- Os primeiros centímetros que crescem após Big Chop são extremamente secos e sem nenhuma definição, de tão ásperos são quase capazes de cortar seu dedo. Sério! Já passei por isso…

4- Grande parte das pessoas que fazem Big Chop demoram semanas, se não meses, para ver os primeiros cachinhos;

5- Não acredite em fotos da Internet. Todo mundo arruma o cabelo, faz texturização, dedoliss e escambal a quatro antes de tirar fotos pós BC, inclusive EU!

cabelo cacheado

6- O seu cabelo nunca ficará igual da fulana. Cada cabelo é uma sentença! Portanto, não crie expectativas irreais…

7- Em cada parte da sua cabeça, os cachos serão de formatos e texturas diferentes. Até hoje eu não tenho definição na parte de trás (superior) da cabeça.

8- Você pode seguir o cronograma capilar, dormir todo dia com óleos, ser adepta do no-poo, mas nada disso vai mudar o que seu cabelo realmente é. Pode melhorar a textura e a definição, mas seu cabelo continuará sendo o seu cabelo, obedecendo os seus genes.

9- Se você sempre teve cabelo comprido (meu caso!) e sempre foi apaixonada por ele, repense sobre o Big Chop. Não é fácil acordar todos os dias com o cabelo curto.

10- Cabelo cacheado dá trabalho. As defensoras dos cachos tem mil e um argumentos para dizerem que não. Mas sejamos sinceras: dá trabalho sim! Todo cabelo bonito dá trabalho…

11- Tem dias que você poderá se arrepender do que fez. No fundo, a maioria já olhou no espelho alguma vez (principalmente quando acorda) e pensou: O que eu fiz? Será que foi a coisa certa?

12- Mas você logo esquecerá isso e vai pular de felicidade quando os cachinhos começarem a se formar sozinhos ou quando o seu black é elogiado na rua;

13 – Todo mundo que hoje insiste para você cortar o cabelo, já teve medo um dia. Não dê ouvido a elas, a maioria vive hoje atrás de receita milagrosa para o crescimento do cabelo.

14 – Todo mundo que diz que você é louca por ter coragem de fazer isso, não deve entender nada sobre o que realmente vale a pena manter na vida. Dê o Pequeno Príncipe de presente para eles.

pequeno principe

15- Cabelo curto não tem muitas opções.

16-  No entanto, alguns acessórios (para os que gostam) trazem um charme especial.

17 – Se você não gosta de acessórios, suas opções se limitam. Eu achava acessórios infantis e ”bregas”, usei o primeiro, o segundo e quando vi.. já era adepta! risos

17 – Laces, apliques e tudo mais podem ser uma boa para aumentar o comprimento ou variar o estilo. Não prenda a convenções sociais… Ouse!

lace front

18 – Depois do Big Chop você tem grandes chances de se tornar uma paranoica com o cabelo. Evite isso ao máximo que puder. Não se liberte das químicas para se tornar escrava dos cachos.

19- O Big Chop realmente dá uma boa sensação de liberdade…

20 – Mas nem todo mundo irá sentir isso da mesma forma! Cada um tem o seu tempo e o seu próprio jeito de viver: não force a barra com as pessoas só porque você já fez!

Big Chop: Você já fez o seu?

Sorteio Lingerie
Meu Big Chop
 
Find us facebook
Cronograma Capilar